Qual a diferença entre psicopata e sociopata?

Todos nós já vimos filmes ou séries de TV em que um criminoso comete delitos de uma maneira incrivelmente bem calculada; ele pode planejar ataques, cometer fraudes ou ferir pessoas sem se preocupar com suas ações. Ao ver uma pessoa desse tipo, tendemos a classificá-la imediatamente como psicopata ou sociopata. Dito isto, a pergunta que fica é: existe realmente uma diferença entre os dois termos?

Ao longo desse artigo, nós vamos analisar as diferenças entre psicopata e sociopata, levando em conta fatores como a natureza dos transtornos de ambos e suas relações com a sociedade.

Entendendo o que é psicopata e sociopata

Os psicopatas são pessoas que apresentam um quadro de psicopatia, um distúrbio de personalidade. Ao contrário de muitas outras doenças, esta é uma das condições mais difíceis de detectar em humanos, pois os pacientes parecem absolutamente normais por fora, sem apresentar nenhum sintoma óbvio que pode ser detectado com o uso de equipamentos médicos tradicionais.

Internamente, um psicopata tende a nutrir um comportamento manipulador de interesse próprio, não mostrar nenhuma consideração pela segurança ou bem-estar dos outros ao seu redor e ser extremamente volátil e desprovido de qualquer empatia ou consciência.

Devido a muitas semelhanças em seu comportamento, os sociopatas, ou seja, pacientes que sofrem de sociopatia (um termo informal que se refere a um padrão de atitudes anti-sociais), nem sempre são prontamente discerníveis dos psicopatas.

Ainda assim, o termo “sócio” associado ao distúrbio nos dá a ideia de que, ao contrário dos psicopatas, os sociopatas tendem a desenvolver tal problema devido ao ambiente social em que vivem. Eles normalmente têm um senso de identidade grandioso, exibem emoções superficiais, demonstram comportamento impulsivo e também podem ter uma necessidade persistente de estímulo.

Embora haja opiniões contrárias, alguns psicólogos acreditam que os psicopatas nascem com uma predisposição genética para tendências psicopáticas. Acredita-se que isso tem a ver com o fato de que os psicopatas tendem a ter cérebros que são estruturalmente diferentes dos cérebros de pessoas normais. Mais especificamente, as partes do cérebro responsáveis pelo controle dos impulsos e regulação da memória podem estar subdesenvolvidas em psicopatas.

Por outro lado, na maioria dos casos, os sociopatas não nascem com quaisquer distúrbios. Em vez disso, eles “se tornam” o que são devido a vários fatores ambientais, como sua educação, traumas de infância ou história de abuso emocional. Como resultado, eles tendem a ser mais impulsivos e menos calculistas em suas decisões e ações.

Outro traço de personalidade vital que dita a maioria de nossas ações é a empatia, que é a capacidade de ver as coisas da perspectiva dos outros e sentir como eles se sentem. Embora psicopatas e sociopatas não consigam criar empatia, os psicopatas não têm qualquer consideração pelos outros. Se for o caso, eles podem até usar os outros para seus próprios interesses com total desrespeito à vida alheia.

Os psicopatas tendem a ser muito bons em esconder e manipular suas emoções. Como resultado, eles parecem absolutamente normais e, às vezes, até charmosos e confiáveis. Os sociopatas, por outro lado, têm mais dificuldade em se misturar e interagir com as pessoas, muitas vezes sendo vistos como “estranhos”.

Qual deles é mais “perigoso”?

Embora psicopatas e sociopatas representem de uma forma ou de outra alguma ameaça para os membros da sociedade em que vivem, são os psicopatas que podem ser considerados mais perigosos, já que eles não têm consciência exata do que é certo ou errado e quase não sentem culpa associada com suas ações.

Ainda assim, há uma coisa extremamente importante que devemos ter em mente: só porque uma pessoa sofre de um transtorno de personalidade não significa que ela seja perigosa para as pessoas ou para a sociedade em geral! De um modo geral, precisamos entender que tais distúrbios estão além do controle dos indivíduos.

De fato, até mesmo pessoas normais apresentam algum tipo de comportamento sociopata em certas situações, por exemplo.

Desse modo, pessoas que sofrem de transtornos de personalidade podem ter problemas para se ajustar ao modo de vida “convencional”, mas isso não significa que desejam prejudicar os outros.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

O que faz um estilista de alimentos?

Próximo Artigo

O que faz um arquiteto de dados?

Postagens Relacionadas