Quais são os maiores mitos sobre o cérebro humano?

Embora os pesquisadores ainda estejam desvendando os segredos de como o cérebro funciona, eles já descobriram muitas informações sobre o que se passa dentro da cabeça humana. Infelizmente, muitos mitos sobre o cérebro ainda parecem persistir por aí.

Ainda há muito o que descobrir sobre o cérebro humano, mas é importante ter cuidado para não cair em alguns dos mitos cerebrais mais comuns. Aprender mais sobre como o cérebro funciona pode ajudá-lo a compreender melhor alguns dos fatores que podem afetar sua saúde mental.

Ao longo deste artigo, você vai ficar por dentro daqueles que são considerados pela comunidade científica os mais populares mitos sobre o cérebro humano.

Mito 1: Usamos somente 10% de nossos cérebros

Você provavelmente já ouviu essa afirmação várias vezes, mas tanta repetição constante não a torna necessariamente precisa. As pessoas costumam usar essa lenda urbana popular para sugerir que a mente é capaz de fazer tarefas muito mais complexas, como inteligência dramaticamente aumentada, habilidades psíquicas ou telecinesia, o que não é o caso.

Se o mito dos 10% fosse verdade, os danos cerebrais seriam muito menos prováveis, afinal, só teríamos que nos preocupar com os minúsculos 10% de nossos cérebros sendo feridos. Entretanto, o fato é que até mesmo danos a uma pequena área do cérebro podem resultar em consequências profundas para a cognição. Além disso, tecnologias de imagem demonstraram que todo o cérebro mostra níveis de atividade até durante o sono.

Mito 2: Os humanos têm os maiores cérebros

Um adulto médio conta com um cérebro que pesa cerca de 1,2 kg e mede cerca de 15 centímetros de comprimento. O maior cérebro animal pertence aos cachalotes, que pesa colossais 8 quilos! Outro animal de cérebro grande é o elefante, com um cérebro de tamanho médio de cerca de 5 quilos.

Agora, você pode pensar: os humanos certamente devem ter o maior cérebro em comparação com o tamanho do corpo, certo? Mais uma vez, essa noção também não passa de um mito. Surpreendentemente, o animal que possui a maior proporção entre o tamanho do corpo e o cérebro é o musaranho, com um cérebro representando cerca de 10% de sua massa corporal.

Mito 3: O consumo de álcool mata as células cerebrais

A história de que o consumo de álcool pode matar as células cerebrais é um dos mitos mais cômicos sobre o cérebro. Embora o abuso excessivo ou crônico de álcool possa certamente trazer consequências terríveis para a saúde, os especialistas não acreditam que beber cause a morte de neurônios.

Por falar em neurônios, nos últimos anos, os especialistas descobriram evidências de que o cérebro humano adulto forma novas células ao longo da vida, mesmo durante a velhice.

O processo de formação de novas células cerebrais é conhecido como neurogênese e os pesquisadores descobriram que isso ocorre em pelo menos uma importante região do cérebro chamada hipocampo.

Mito 4: Todos os danos cerebrais são permanentes

Embora muitas vezes tenhamos a tendência de pensar que as lesões cerebrais são duradouras, a capacidade de uma pessoa de se recuperar de tais lesões depende da gravidade e da localização da lesão.

Uma pancada na cabeça, por exemplo, pode causar uma concussão e, embora isso possa ser muito sério, a maioria das pessoas tende a se recuperar. Um derrame grave, por outro lado, pode resultar em consequências terríveis para o cérebro, que podem muito bem ser permanentes.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Por que os policiais americanos adoram comer donuts?

Próximo Artigo

Por que gesticulamos enquanto falamos?

Postagens Relacionadas