Por que sentimos cansaço em viagens longas?

Você já deve ter reparado que muitas pessoas se cansam facilmente quando viajam por longas distâncias. De fato, você mesmo pode ser uma dessas pessoas! Curiosamente, é interessante pensarmos que sentimos cansaço em situações do tipo, afinal, ficamos basicamente sentados o tempo todo, sem fazer nada. Então, por que isso acontece?

Obviamente, a sensação de cansaço em carros, ônibus ou até mesmo em aviões é bastante subjetiva e, como tal, pode não se aplicar em todos os casos. Dito isto, pode haver pessoas que não achem cansativo mesmo ao viajar em um ônibus lotado, por exemplo.

Ainda assim, este artigo visa apresentar alguns fatores que contribuem amplamente para fazer alguém se sentir cansado após uma longa viagem de carro, ônibus ou avião.

Os fatores que impactam o cansaço em longas viagens nas estradas

De acordo com o FlightFud, quando você está viajando em uma estrada, seu carro ou ônibus é obrigado a acelerar e desacelerar inúmeras vezes, graças ao fluxo natural do tráfego. Além disso, o veículo também tende a fazer muitas curvas, o que faz o seu corpo balançar repetidamente de um lado para o outro. Na prática, todos esses fatores promovem um efeito cumulativo na sensação de cansaço em viagens.

Você não percebe isso ativamente, mas os constantes balanços e mudanças na velocidade do veículo fazem com que seu cérebro mantenha seus músculos ocupados para dar conta desses movimentos e garantir que sua postura seja mantida de maneira adequada. Consequentemente, esses pequenos movimentos fazem com que seus músculos trabalhem constantemente, o que os deixam cansados durante viagens longas.

De fato, ao contrário do que se possa pensar, dirigir carros de corrida afeta o corpo dos condutores de forma considerável. É por isso que os pilotos de F1, por exemplo, trabalham tanto para ficar em forma e lidar com essas enormes forças durante as corridas.

Os trens, por outro lado, são comparativamente menos cansativos. O motivo por trás disso é bastante simples: eles não desaceleram e mudam de direção com a mesma frequência que os automóveis nas estradas. Desse modo, as viagens de trem não costumam ser tão cansativas.

Os fatores que impactam o cansaço em longas viagens de avião

Os voos não são necessariamente melhores quando se trata de toda essa fadiga. Curiosamente, pode-se dizer que os aviões não experimentam mudanças rápidas de velocidade como os carros, então viajar em aviões não deveria ser tão cansativo, certo? Bem, acontece que existem outros fatores que podem desgastar qualquer pessoa em uma viagem de avião.

Em primeiro lugar, há a questão da altitude, afinal, embora a pressão da cabine torne um pouco mais fácil para seu corpo se ajustar à mudança de altitude, ainda está longe do que você chamaria de “normal”, ou seja, algo que você experimenta sentado em uma cadeira em seu quarto.

Depois, tem o fator da desidratação, pois para manter a pressão dentro da cabine, as companhias aéreas devem regular o ar interno. Na prática, isso envolve a mudança da composição do ar respirável dentro da cabine. É por isso que o ar da cabine tende a ser 15% mais seco do que o “ar do solo”, o que consequentemente deixa os passageiros desidratados. Vale destacar que essa também é uma das muitas razões pelas quais a comida de avião aparenta ter um gosto meio ruim.

Além disso, não podemos esquecer a maneira como um avião se move. Todo aquele ruído, turbulência e outras vibrações que você experimenta durante um voo não são movimentos naturais para o corpo humano. Por isso, o corpo tenta se estabilizar constantemente, o que também causa fadiga. É por isso que você se sente cansado após um longo voo, mesmo ficando sentado “sem fazer nada”.

Fatores psicológicos também contam

Por último, não podemos ignorar o aspecto psicológico de viajar por longas distâncias. De fato, somente a ideia de viajar já pode ser mais que suficiente para desgastar psicologicamente muitas pessoas.

Ao viajar em um avião, por exemplo, você tende a ficar mais atento com relação ao que ocorre ao seu redor. Existem estranhos ao seu lado e você, inconscientemente, tenta ficar fora do espaço pessoal deles.

Em outras palavras, você fica constantemente “em alerta”, que não é o estado mental natural (da maioria) das pessoas. Consequentemente, isso aumenta a exaustão mental de viajar horas em um voo.

É por isso que a classe executiva de voos é tão visada. Nessa classe, você ganha mais espaço e tende a ficar bem mais confortável. Em suma, o objetivo da classe executiva é fazer você se sentir em casa, para que esteja prontamente disposto e descansado para fazer o que bem entender no momento em que descer da aeronave.

No entanto, como já foi explicado, a sensação de cansaço é muito subjetiva e difere de uma pessoa para outra. Ainda assim, para aquelas pessoas que se cansam durante longas viagens rodoviárias ou voos, estes são alguns dos principais fatores que contribuem para a fadiga.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior
http://molcci.com.br/5-principais-tendencias-da-transformacao-digital-bancaria/

5 Principais tendências da transformação digital bancária

Próximo Artigo

É possível viver sem sentir dor?

Postagens Relacionadas