Por que os desertos são frios à noite?

Se você decidir fazer uma viagem para o Deserto do Saara, no Norte da África, certamente vai precisar levar muita água e bastante protetor solar. Mas se você estiver planejando passar a noite por lá, é melhor levar também um saco de dormir bem confortável. Embora os desertos sejam famosos pelo calor escaldante na maior parte do dia, muitas pessoas não percebem que eles podem ficar surpreendentemente frios à noite!

Para se ter uma ideia, as temperaturas no Saara podem despencar assim que o sol se põe de uma média máxima de 38ºC durante o dia para uma média mínima de -4ºC durante a noite, de acordo com a NASA .

Dito isto, a pergunta que fica é: por que essa mudança dramática de temperatura ocorre em desertos naturalmente áridos, como no caso do Saara?

Os principais fatores que explicam por que os desertos são frios à noite

A principal razão pela qual desertos áridos (regiões secas que cobrem cerca de 35% da terra do nosso planeta) ficam tão quentes e, subsequentemente, tão frios, é o resultado de uma combinação que envolve dois fatores principais: areia e umidade.

Como você deve saber, a água é muito boa em capturar e reter calor. Em terrenos regulares, quando o sol aquece o solo, este último absorve muito calor. À noite, quando não há sol no céu, o calor irradiado pelo solo é capturado pelo teor de água (ou umidade) presente no ar acima do solo (pois o ar é úmido nesses locais). Nos desertos, entretanto, a história é bem diferente.

Quando o sol se põe e o solo perde seu calor por meio da radiação, o ar acima do solo não consegue reter ou “prender” esse calor, pois o ar desértico não é úmido o suficiente para que isso ocorra. É exatamente por isso que o calor é perdido tão rapidamente nos desertos, fazendo com que as temperaturas nessas regiões caiam drasticamente à noite.

Além disso, os desertos não têm muita cobertura de nuvens, o que torna ainda mais difícil reter o calor acima do solo. Desse modo, todo o calor do solo acaba escapando ao anoitecer, abrindo espaço para o surgimento de um clima frio.

Como os animais locais se adaptam a essas mudanças drásticas de temperatura?

Apesar dessas rápidas oscilações de temperatura, os animais do deserto costumam se adaptar bem a essas mudanças. De fato, o maior desafio nem costuma ser esse, mas conseguir alimentos e água suficientes para a sobrevivência.

Os répteis, o grupo animal mais abundante e diverso do deserto, são naturalmente bem adaptados às variações extremas de temperatura porque são criaturas de sangue frio, ou ectotérmicos, o que significa que eles não precisam investir energia para manter uma temperatura corporal constante. Em outras palavras, os répteis podem usar essa energia para outros fins, como a caça.

Por outro lado, os camelos sobrevivem mantendo uma temperatura corporal constante em condições de calor e frio. Eles fazem isso por obterem muito isolamento através do pelo grosso, o que os impede de ficarem superaquecidos durante o dia e perder muito calor à noite.

Em contraste, as aves do deserto usam a técnica do resfriamento evaporativo, em que usam água para transferir calor para longe de seus corpos, assim como os humanos suam e os cães ofegam. Alguns abutres, por exemplo, urinam nas próprias pernas para se refrescar. Como as aves voam por longas distâncias entre as fontes naturais de água ou comida, elas não precisam se preocupar tanto com a conservação da água como outros animais do deserto.

Nem todos os desertos ficam frios à noite

Desertos que ficam frios à noite tem muito a ver com umidade, nuvens e até ventos, mas ao contrário da crença popular, nem todos eles têm falta de umidade. Desertos de lugares como Kuwait e Emirados Árabes Unidos são mais úmidos do que outros e, portanto, esses desertos geralmente não ficam tão frios à noite, pois seu ar úmido retém parte do calor irradiado pelo solo.

Além disso, vale destacar que nem todo deserto é necessariamente quente. A baixa quantidade de chuva ou outras formas de precipitação (como granizo) é o que caracteriza um deserto. Então, por essa definição, a Antártica, que é coberta de gelo e tem temperaturas mínimas abaixo de -75ºC, é tecnicamente um deserto. Esse local recebe muito pouca chuva, tornando-o um dos maiores e mais secos desertos do planeta.

Dito isto, se você planeja acampar em alguma região desértica, faça uma pesquisa com antecedência sobre o perfil do clima da área. Você certamente não vai querer fazer as malas e carregar um cobertor quente apenas para perceber que o deserto em que você está acampando não fica frio à noite!

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Qual a importância dos raios?

Próximo Artigo

Por que o queijo suíço tem buracos?

Postagens Relacionadas