Por que há tanta areia nas praias?

Você pode encontrar areia nas praias de quase todas as partes do mundo. De fato, se você já esteve em uma praia, aposto que deu um passeio descalço e talvez até tenha feito alguns castelos de areia. No entanto, durante algum desses passeios, você chegou a se perguntar sobre de onde vem toda essa areia?

Bem, antes de chegarmos ao motivo da presença de tanta areia na maioria das praias, é muito importante entendermos primeiramente o que exatamente constitui a “areia” como a conhecemos.

Em primeiro lugar, podemos dizer que a palavra ‘areia’ é usada no jargão cotidiano para se referir a um tipo de solo que é comumente encontrado em praias e desertos. No entanto, de um ponto de vista puramente geológico, a areia é um material granular de ocorrência natural que consiste em rochas e partículas minerais que são divididas e pulverizadas em fragmentos pequenos e particularmente muito finos.

Uma partícula de areia individual é chamada de grão de areia. Em geologia, as dimensões de um grão de areia ficam na faixa de 0,0625 a 2 milímetros. Em termos de tamanho, os grãos de areia ficam em algum lugar entre o lodo e o cascalho.

De um modo geral, o elemento constituinte mais comum da areia encontrado em ambientes internos é a sílica (dióxido de silício), que geralmente está na forma de quartzo. Um outro tipo muito comum de areia consiste em carbonato de cálcio (aragonita, por exemplo), que se forma ao longo de um período de milhões de anos.

Tá, mas por que há tanta areia nas praias?

A areia da maioria das praias do mundo é formada pelos minerais quartzo e feldspato. Esses minerais, por sua vez, são formados como resultado de milhões de anos de desgaste e erosão de rochas ígneas e metamórficas, embora o feldspato também seja encontrado em algumas rochas sedimentares.

É importante deixar claro que, ao contrário do que muita gente acredita, nem todas as rochas são iguais no que diz respeito à resistência e durabilidade. Alguns minerais são instáveis e se decompõem facilmente, enquanto outros são mais resistentes à erosão e, portanto, mais propensos a persistir.

Especificamente, quartzo e feldspato são bons exemplos de minerais resistentes à erosão. Dito isto, uma forma de tanta areia acabar nas praias é por meio de milhões de anos de desgaste das rochas que são abundantes na crosta terrestre.

Além disso, as correntes de rios também erodem continuamente a terra (rochas e outros materiais), o que quebra as rochas nas minúsculas partículas que formam os famosos e admiráveis grãos de areia. Essas partículas são então carregadas pelo rio e acabam sendo depositadas no mar ou oceano onde culmina. Obviamente, nem é preciso dizer que todo esse processo leva centenas de milhares de anos.

Você também deve ter notado que nem todas as praias são de areia. Algumas contam com seixos, enquanto outras possuem rochas e pedregulhos. Isso ocorre porque o tipo de areia encontrada em uma praia é impactado principalmente pelo tamanho dos minerais na região e pela altura (energia) das ondas. Como regra geral, as praias de seixos ou de areia grossa são muito jovens, enquanto as praias de areia fina são mais antigas.

Por que certas praias possuem areias com cores diferentes?

Bem, a cor da areia de qualquer praia depende do material que formou a areia (por exemplo, rochas-mãe erodidas) e das condições geológicas locais.

O tipo de cor mais comum para as praias é um marrom claro característico, que vem da coloração com ferro no quartzo e óxido de ferro no feldspato, os dois constituintes mais comuns da areia encontrados na maioria das praias. A areia preta de algumas praias (como a praia de areia preta de Punaluu no Havaí) é formada pelo basalto erodido da lava de vulcões.

Da mesma forma, a cor verde de certas praias é atribuída a um mineral verde-oliva chamado olivina, encontrado em abundância no basalto depositado em certas partes do mundo. Por sua vez, as praias de areia branca devem sua cor pálida aos pedaços pulverizados de corais mortos. O esqueleto dos corais é feito de carbonato de cálcio e, portanto, é branco.

Com tudo isso em mente, talvez seja possível dizer que as praias são como impressões digitais; elas podem até parecer semelhantes à primeira vista, mas quando são devidamente examinadas, cada praia acaba se revelando diferente de qualquer outra no mundo.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Como funciona a depilação a laser?

Próximo Artigo

12 Curiosidades incríveis sobre a República Dominicana

Postagens Relacionadas