Por que a exploração espacial é importante?

Na época do pouso do homem na Lua em 1969, muitas pessoas imaginaram que, no início do século 21, as viagens espaciais se tornariam rotineiras e estaríamos visitando outros planetas em nosso sistema solar e talvez até ousando nos aventurar no espaço interestelar. Infelizmente, esse futuro ainda não chegou. Na verdade, algumas pessoas até começaram a questionar se ainda precisamos da exploração espacial.

Por outro lado, aqueles que sonham há muito tempo com os humanos se tornando uma verdadeira raça espacial argumentam que explorar o espaço pode oferecer benefícios realistas em áreas como saúde, mineração e segurança. Mas será que isso realmente procede?

Aqui estão alguns dos argumentos mais convincentes que ajudam a explicar a importância da exploração espacial e como ela pode marcar presença no nosso dia a dia.

A exploração espacial pode levar ao surgimento de grandes invenções

Uma lista muito longa de dispositivos e materiais foram desenvolvidos originalmente para o programa espacial dos EUA, mas atualmente servem a outros propósitos na Terra. De fato, existem tantos exemplos que a NASA possui até mesmo um escritório focado na busca de  maneiras de transformar a tecnologia obtida da exploração espacial em produtos comuns.

Na década de 1960, por exemplo, os cientistas da NASA desenvolveram um plástico revestido com um agente refletor metálico. Quando usado em um cobertor, ele reflete cerca de 80% do calor do corpo do usuário de volta para ele, uma habilidade que ajuda vítimas de acidentes e corredores a se manterem aquecidos.

Outra inovação mais obscura, mas valiosa, é o nitinol, uma liga flexível, mas bastante resiliente que foi desenvolvida para permitir que os satélites se abrissem após serem “dobrados” em um foguete. Hoje, os ortodontistas equipam seus pacientes com aparelhos ortodônticos feitos a partir desse material.

O estudo do espaço pode nos fornecer proteção contra um asteroide catastrófico

Se não quisermos seguir o caminho dos dinossauros algum dia, precisamos nos proteger contra a ameaça de sermos atingidos por um grande asteroide. É aí que entra em cena a exploração espacial!

De acordo com a NASA, cerca de uma vez a cada 10 mil anos, um asteroide rochoso ou de ferro do tamanho de um campo de futebol pode colidir com a superfície do nosso planeta. Na prática, isso pode causar maremotos grandes o suficiente para inundar áreas costeiras. Ainda assim, são os verdadeiros monstros (asteroides ainda maiores) que realmente devemos temer.

Uma colisão de um objeto de grande tamanho contra a Terra poderia desencadear uma tempestade de destroços aquecidos e encher a atmosfera com poeira bloqueadora dos raios do sol, o que iria varrer florestas e campos agrícolas e matar de fome a vida humana e animal que não morresse imediatamente. Um programa espacial sabiamente financiado nos permite localizar um objeto perigoso muito antes de ele atingir a Terra e abre a possibilidade do envio de uma espaçonave para plantar e detonar o objeto, desviando-o de seu curso de colisão.

A exploração espacial beneficia até mesmo a nossa saúde

A Estação Espacial Internacional sozinha produziu dezenas de inovações médicas com usos na Terra, como um método para fornecer medicamentos de combate ao câncer diretamente para tumores, dispositivos que uma enfermeira pode segurar para realizar ultrassom e transmitir os resultados a um médico a milhares de quilômetros de distância e um braço robótico que pode realizar cirurgias delicadas dentro de uma máquina de ressonância magnética.

Cientistas da NASA, em um esforço para proteger os astronautas da fragilização dos ossos e músculos no ambiente de microgravidade do espaço, também ajudaram uma empresa farmacêutica a testar o Prolia, um medicamento que, atualmente, ajuda a proteger os idosos da osteoporose.

Nesse caso, foi mais fácil testar esta droga no espaço porque os astronautas perdem cerca de 1,5% de seu tecido ósseo por mês na microgravidade, enquanto uma mulher idosa na Terra perderia 1,5% ao ano para a osteoporose comum.

Nós precisamos de matérias-primas do espaço

Há ouro lá fora no cosmos, além de prata, platina e outras substâncias valiosas. Por conta disso, muita atenção foi dada a um empreendimento do setor privado que prevê operações de mineração em asteroides. No entanto, os mineiros espaciais não teriam que ir tão longe para encontrar riquezas. A Lua, por exemplo, é uma fonte potencialmente lucrativa de hélio-3 (usado para certas ressonâncias magnéticas e um potencial combustível para usinas nucleares), cuja raridade crescente na Terra elevou seu preço para preços absurdos.

Além disso, a lua também é considerada uma fonte potencial de elementos de terras raras, como európio e tântalo, que são muito procurados para uso em eletrônicos, painéis solares e outros dispositivos avançados.

Podemos precisar colonizar o espaço para sobreviver

Nossa capacidade de colocar satélites no espaço já está nos ajudando a monitorar e combater problemas urgentes na Terra, desde incêndios florestais e derramamentos de óleo até o esgotamento dos aquíferos dos quais as pessoas dependem para beber água.

Ainda assim, a nossa população crescente, a ganância desenfreada e a falta de consideração sobre as consequências ambientais já causaram danos bastante graves ao nosso planeta, o que pode levar à escassez de recursos na Terra. Isso levou alguns futuristas a argumentar que deveríamos estar nos preparando para colonizar outro planeta; ou seja, sua vida (ou a de seus descendentes) pode depender disso.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Quantas vezes devemos escovar os dentes por dia?

Próximo Artigo

12 curiosidades interessantes sobre selfies

Postagens Relacionadas