Pau-brasil – Origem do nome e sua história

Principal produto de exploração portuguesa na chegada ao Brasil, o pau-brasil teve importância fundamental no desenvolvimento da colônia

Certamente você já ouviu falar ao menos uma vez de pau-brasil. A árvore foi o primeiro recurso natural explorado pelos portugueses assim que chegaram por aqui, no descobrimento, no século XVI. A exploração, que acontecia por meio do escambo com indígenas, foi tão importante que acabou gerando o nome do nosso país.

O pau-brasil, ou Paubrasilia echinata, pode ter de 10 a 15 metros de altura e foi extremamente abundante na Mata Atlântica. Com um tronco cinza-escuro relativamente fino, a árvore foi explorada principalmente por gerar uma tinta vermelha muito utilizada na coloração de tecidos.

A princípio, era chamado de ibirapitanga. Isso porque “ybirá” significa “árvore” e “pintanga” representa “vermelho”, em tupi-guarani. Para os colonizadores, a árvore se chamava bersil, sinônimo de brasa. Além de ser chamada de pau-brasil, ela também ganhou nomes como como pau-vermelho, pau-de-pernambuco, arabutã, ibirapitã, muirapiranga, orabutã, pau-rosado e pau-de-tinta.

História

Além de ser comercializado por causa do corante utilizado para tingir tecidos, o pau-brasil tinha outras utilidades. A árvore podia ser utilizada para construir objetos variados, como móveis e caixas. Assim, foi vista como potencial mercadoria de exportação para a Europa. Rapidamente, a exploração teve início.

A primeira pessoa autorizada a explorar a madeira foi Fernão de Loronha, ou Fernando de Noronha. Em 1501, ele ganhou direito de explorar o território e logo ganhou domínio da ilha de São João. A ilha é a mesma conhecida atualmente pelo nome do explorador. Logo após conquistar a capitania, também ganhou o direito de explorar a árvore.

A primeira exportação de pau-brasil para Portugal, entretanto, só foi registrada dez anos depois. Em 1511, cinco mil toras da árvore foram exportadas no navio Bretoa. No mesmo ano, a autorização de Fernão de Loronha foi transferida para Jorge Lopes Bixorda. Dois anos depois, a autorização foi ampliada para todos interessados, mas com uma condição. Agora, quem explorasse a madeira devia pagar 20% de impostos à Portugal.

Exploração de pau-brasil

Antes do processo de colonização do Brasil ser iniciado, na década de 1530, os portugueses focavam na exploração da terra. Na época, eles ocupavam apenas o litoral e atuavam por meio de feitorias. A princípio, as feitorias foram instauradas em Cabo Frio, Porto Seguro e Igarassu (atual Pernambuco).

As árvores de pau-brasil, entretanto, não eram encontradas umas próximas às outras. Dessa maneira, os portugueses contratavam indígenas para que eles encontrassem e derrubassem as árvores. Uma vez que eles eram nativos, tinham muito mais conhecimento do território e conseguiam localizá-las com maior facilidade.

Alguns povos indígenas, no entanto, tinham relações hostis com os portugueses. Para complicar ainda mais, os exploradores enfrentavam franceses que queriam contrabandear pau-brasil. Para isso, expedições como a de Paulmier de Gonneville, em 1503, negociavam com indígenas a fim de também obter lucro com a descoberta recente.

Nome

Existem várias teorias e hipóteses sobre o surgimento do nome pau-brasil. Apesar disso, atualmente existe um consenso que diz que “brasil” é uma referência à resina avermelhada encontrada na madeira. Segundo as historiadoras Lilia Schwarcz e Heloísa Starlin, o termo vem do latim brasilia, que significa vermelho, ou cor de brasa.

A partir de 1512, o nome da madeira começou a ser utilizado para se referir ao território recém descoberto. Com a mercadoria chegando oficialmente na Europa, o termo ganhou força e, mais tarde, se tornou o nome oficial do país.

De acordo com historiadores, na Europa medieval, já havia uma árvore conhecida por nomes como brecilis e brezil. A árvore era semelhante ao pau-brasil, mas originária da Ásia. Assim como a nossa madeira, essa também era utilizada para tingir tecidos ainda nos séculos XII e XIII.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Descubra porque nunca é tarde para você correr atrás dos seus sonhos

Próximo Artigo

Fênix, o que é? Origem, lenda e significados do ser mitológico

Postagens Relacionadas