O que faz um engenheiro bioquímico?

Você tem as habilidades necessárias para escrever bons relatórios e documentações? Deseja seguir uma profissão que lhe permita projetar, desenvolver e modificar produtos? Se a sua resposta é um “sim” para ambas as perguntas, talvez você devesse seguir a carreira de engenheiro bioquímico!

Um engenheiro bioquímico é o profissional responsável pelo desenvolvimento de novos produtos químicos que podem ser usados por uma infinidade de empresas e indivíduos. De fato, a maioria dos produtos com os quais temos contato no dia a dia são desenvolvidos através de um processo de engenharia bioquímica.

Tais produtos abrangem todos os aspectos da sociedade, como:

  • Produtos químicos agrícolas usados para tratar e desenvolver alimentos para consumo da população em geral;
  • Produtos à base de petróleo, como óleos, plásticos, tintas e resinas;
  • Produtos fibrosos, como papéis ou objetos têxteis;
  • Produtos de limpeza, como detergentes, sabões, perfumes e cosméticos.

Como é a rotina de trabalho de um engenheiro bioquímico?

O ramo da engenharia bioquímica inclui pesquisar, documentar e desenvolver produtos derivados de uma combinação de materiais orgânicos e feitos em laboratório que podem beneficiar as pessoas e a sociedade em geral.

Engenheiros bioquímicos conduzem estudos em células, proteínas, vírus ou outras substâncias biológicas para determinar as condições ideais para o seu crescimento ou sua inibição.

De um modo geral, esses profissionais desenvolvem e conduzem experimentos para observar as interações das matérias-primas entre si e em ambientes específicos. Desse modo, eles podem desenvolver processos específicos para a construção de novos compostos a partir desses materiais que podem ser produzidos em massa para uso do público em geral.

Os engenheiros bioquímicos trabalham em conjunto com outros profissionais no desenvolvimento de processos e produtos. Eles trabalham, por exemplo, com pesquisadores e fabricantes para preparar informações sobre os produtos desenvolvidos (fichas de segurança, manuais, procedimentos operacionais e instruções). Eles também precisam trabalhar com químicos, biólogos e engenheiros.

Vale mencionar que esses profissionais podem alterar certas variáveis dos produtos, como quantidade de ingredientes e exposição a diferentes temperaturas e ambientes. Posteriormente, eles podem simular os resultados potenciais em computadores para determinar se há o desenvolvimento adequado do produto.

Como é o ambiente de trabalho desse profissional?

Uma vez contratado, um engenheiro bioquímico recém-formado tende a trabalhar em conjunto com engenheiros bioquímicos experientes, recebendo treinamento formal em seminários por parte de seu novo empregador.

Conforme o engenheiro bioquímico ganha experiência, ele passa a ser responsável por projetos mais complexos para desenvolver novos produtos, resolver problemas complexos e tomar decisões que estão alinhadas com as metas e objetivos gerais da empresa em que trabalha.

O ambiente de trabalho diário mais comum para o funcionário iniciante nessa área é um laboratório. Frequentemente, o engenheiro bioquímico trabalha com produtos químicos perigosos ou materiais que requerem cuidado e atenção extras para garantir um ambiente de trabalho seguro e produtos desenvolvidos com segurança.

Por outro lado, em alguns cargos específicos, o local de trabalho do engenheiro bioquímico pode se parecer mais com um ambiente tradicional de escritório.

Como se tornar um engenheiro bioquímico?

Do ponto de vista educacional, quem deseja trabalhar nessa área precisa se formar em Engenharia Bioquímica. Um diploma em biologia, química, engenharia ou uma combinação dos mesmos também pode ser aceitável em certos lugares.

Vale destacar que um currículo educacional com foco nessa área pode servir como um trampolim não apenas para este campo, mas também para gestão ambiental, matemática aplicada ou outros campos de pesquisa científica.

Enquanto busca um diploma de graduação, algum tipo de estágio ou posição de pesquisa também é visto com bons olhos. Muitos cargos em grandes empresas de pesquisa e desenvolvimento, ou em agências governamentais de saúde, também tendem a exigir um diploma de mestrado e, em alguns casos, um doutorado em bioquímica ou engenharia química.

A educação continuada também é necessária nesta posição, tanto em procedimentos de segurança quanto em desenvolvimentos científicos. Grande parte dessa educação continuada pode ser autodirigida, com o profissional mantendo-se atualizado através de artigos e outros documentos publicados que discutam novos processos químicos ou combinações.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Por que os médicos usam jaleco branco?

Próximo Artigo

Qual a simbologia do sombrero, o chapéu mexicano?

Postagens Relacionadas