O que aconteceria se a água dos oceanos se tornasse doce?

De um modo geral, a água dos oceanos não tem grandes utilidades diretas para nós, seres humanos, pois conta com uma altíssima taxa de salinidade. No entanto, isso levanta uma questão interessante: afinal, o que realmente aconteceria se a água dos oceanos se tornasse doce de uma hora para outra?

À primeira vista, isso soaria como algo magnífico, pois não teríamos que nos preocupar com o consumo global de água, poderíamos tomar banhos o quanto quiséssemos e até teríamos a possibilidade de ficar isolados no meio do oceano sem o medo de morrer de sede. Porém, o que você provavelmente não imagina é que isso traria mudanças drásticas demais para boa parte da vida no nosso planeta.

Em nossa taxa atual de consumo, a demanda por água doce dobra a cada 21 anos em todo o mundo. Com estatísticas como essas, a ideia de contar com oceanos de água doce não soa como um privilégio, mas sim como uma necessidade desesperada.

Por outro lado, oceanos sem sal dizimariam a vida marinha e afetariam drasticamente o clima e a temperatura global, tornando a vida humana na Terra incrivelmente complicada, como veremos ao longo deste artigo.

Oceanos com água doce afetariam negativamente plantas e animais marinhos

Existem cerca de 230 mil espécies marinhas conhecidas e estima-se que mais de 2 milhões ainda não foram descobertas. Ainda assim, o mais incrível disso tudo é que se o mar fosse dessalinizado, provavelmente nunca teríamos a chance de encontrar essas novas formas de vida. Os organismos marinhos mais afetados seriam os plânctons e o fitoplânctons, que constituem a base de toda a vida marinha.

Os peixes de água salgada evoluíram e se adaptaram às condições salinas, bebendo água salgada para se manter hidratados e livrando-se do excesso de sal bombeando-o para fora. Outros peixes, como o salmão, se adaptaram para tolerar tanto a água doce quanto a salgada, mas pouquíssimos animais contam com essa capacidade. Dito isto, praticamente todas as espécies de água salgada morreriam.

Junto com os animais marinhos, a vida vegetal marinha também seria afetada. A fotossíntese desempenha um papel crucial no fornecimento de alimentos e oxigênio ao nosso planeta, principalmente na conversão do dióxido de carbono da atmosfera no oxigênio que necessitamos para respirar.

Com significativamente menos fotossíntese e condições climáticas extremamente voláteis, nosso mundo não suportaria mais a diversidade de plantas que tem agora. Em outras palavras, a própria cadeia alimentar entraria em colapso.

Oceanos com água doce também afetariam o clima

Curiosamente, todo esse efeito também tornaria algumas partes do mundo insuportavelmente quentes. Isso seria mais perceptível nas regiões próximas ao Equador, uma vez que nossas correntes oceânicas não mais circulariam água quente e correntes de ar como antes.

As correntes de convecção movem as águas quentes do Equador para o norte, enquanto as águas mais frias do norte ajudam a resfriar as áreas mais quentes do sul. Na região equatorial, a água mais quente é capaz de transportar mais sal (a solubilidade dos solventes aumenta com a temperatura), fazendo com que essa água mais densa “afunde” para as profundidades, enquanto a água mais fria tende a fluir por cima.

No extremo norte, a água esfria o suficiente para congelar e formar o gelo marinho. À medida que a água congela, o sal é deixado para trás e, naturalmente, isso torna a água mais fria do norte muito mais densa, permitindo que ela afunde mais, o que abre caminho para as águas mais quentes que chegam do sul.

Sem oceanos de água salgada, todo esse processo equilibrado e intrincado se desfaria. Além disso, os furacões se tornariam muito mais frequentes e mais mortais! Basicamente, nosso tempo e clima seriam surpreendentemente diferentes do que experimentamos agora!

Conclusão

De certo modo, tudo o que desejamos é um mundo sem crises hídricas, onde a água doce seja tão abundante quanto os grãos de areia.

No entanto, agora que você sabe quais poderiam ser as consequências de uma hipotética conversão repentina das águas oceânicas, talvez não seja tão louvável implorar pelo fim da água salgada.

Todos os organismos do nosso planeta vivem de uma forma equilibrada, mas complexa. Dito isto, basta uma incompatibilidade aqui e um acidente ali para nos afogarmos nos perigos do desequilíbrio.

Sendo assim, talvez seria melhor para toda a humanidade concentrar seus recursos e esforços na plena conservação e preservação da pouca água doce e consumível que nos resta. Da mesma forma como dependemos da água doce, inúmeras outras espécies sobrevivem somente por conta da existência da água salgada.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Por que a madeira não derrete?

Próximo Artigo

Por que os morcegos vivem em cavernas?

Postagens Relacionadas