Estudar ouvindo música ajuda ou atrapalha?

Ficar sozinho em um quarto lendo um livro ou um documento PDF está longe de ser uma coisa agradável para a maioria das pessoas, mas estudar de uma forma ou de outra é algo que praticamente todos nós temos que fazer na vida. Isso nem sequer se limita aos nossos anos escolares, afinal, aprender novas técnicas, estudar artigos e cursos provam que o estudo é algo com que todas as idades lidam.

Não há dúvida de que estudar pode ser entediante na maioria das vezes, então encontrar maneiras de torná-lo mais agradável é um instinto normal. Estudar ouvindo música, por exemplo, é uma abordagem popular para muitas pessoas, mas levanta a questão: é realmente bom estudar ouvindo música ou isso mais atrapalha do que ajuda?

Estudar ouvindo música vocal pode atrapalhar

Estudar para qualquer coisa requer uma certa concentração, especialmente se o material que você está estudando requer leitura e compreensão. Dito isto, o som não é inerentemente perturbador e os benefícios de usar uma música de fundo serão explorados em breve, mas quando se trata de música vocal (cantada), é provável que o aluno tenha mais problemas de concentração.

As letras das músicas são baseadas em um idioma, assim como as palavras que você lê durante o estudo, portanto, fica mais difícil se concentrar em seu material de estudo.

Nesse caso, seus ouvidos estão ouvindo a letra ao mesmo tempo que seus olhos estão lendo as palavras, confundindo o seu cérebro ao tentar processar ambas as entradas de linguagem simultaneamente.

Estudos têm mostrado que isso acontece com qualquer forma de fluxo de palavras, não apenas com as letras. Pode ser alguém contando de 1 a 10, uma pessoa tentando manter uma conversa com você ou até mesmo a fala de um apresentador na televisão, por exemplo.

Por conta disso, a retenção e a compreensão da memória são diminuídas em toda a linha com a mudança de estado da fala no contexto do estudo tradicional baseado na linguagem. Por outro lado, as letras não afetam tanto o estudo da matemática, pois, nesse caso, o aluno não está mais tentando processar duas entradas de linguagem diferentes.

Estudar ouvindo música instrumental pode ajudar

Diferentemente da música vocal, estudos mostraram que a música puramente instrumental pode ser realmente benéfica durante os estudos. A música clássica, em particular, tem recebido muita atenção positiva nesta área, tanto como uma ferramenta precursora antes do início uma tarefa (estudar), quanto como música de fundo durante a execução da tarefa em si.

Um estudo conduzido na Universidade Stanford em 2007 investigou os efeitos da música clássica na atividade cerebral e mostrou que ela realmente pode melhorar nossa capacidade de atenção.

Durante o estudo, notou-se que o cérebro começa a prever e antecipar a flutuação das notas, naturalmente prestando atenção ao movimento do som com base no padrão, altura, velocidade e volume em uma parte diferente do cérebro do processamento da linguagem, deixando a pessoa sem distração e, em alguns casos, um tanto inspirada para realizar a tarefa.

Como já era esperado, o silêncio completo ainda costuma ser considerado a melhor configuração para concentração e retenção de memória, mas músicas totalmente instrumentais também não tem muito impacto negativo e podem até melhorar temporariamente a cognição de alguns estudantes.

Também vale destacar que o “ruído branco” também pode ser benéfico durante uma sessão de estudos. O ruído branco é, basicamente, um sinal aleatório com igual intensidade em diferentes frequências. Trazendo isso para o campo dos estudos, ele seria equivalente a estudar enquanto escuta um áudio de fundo com sons de chuva.

No fim das contas, tudo depende do estudante

A razão pela qual a pergunta central desse post continua sendo tão intrigante é que as respostas tendem a ser diferentes para cada pessoa. Por exemplo, pessoas tipicamente tensas podem precisar de uma música suave para acalmá-las e encontrar o espaço mental certo para estudar, enquanto indivíduos normalmente relaxados podem precisar de algo um pouco mais “animado”.

Da mesma forma, se você gosta de uma determinada música, o prazer de ouvi-la poderá tornar o processo de estudo mais agradável, mas não necessariamente melhor para a concentração, pois uma música que você conhece muito bem tem mais probabilidade de distraí-lo com memórias associadas. Em outras palavras, ouvir música nova pode ser uma escolha melhor do que escutar seus hits favoritos.

Outra variável interessante tem a ver com o tipo de personalidade do indivíduo (introvertido ou extrovertido). De um modo geral, os introvertidos tendem a preferir a solidão e o silêncio quando estudam, enquanto os extrovertidos preferem mais estimulação externa ao seu redor quando se sentam para uma sessão de estudos.

No fim das contas, tudo se resume à sua personalidade e escolhas pessoais. O que a ciência e a maioria das pessoas podem concordar é a correlação negativa do sucesso do estudo com a música com letras intensas. Sendo assim, do silêncio absoluto às melodias instrumentais, tudo depende do que funciona melhor para você!

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

Por que beber cerveja dá vontade de fazer xixi?

Próximo Artigo

O que é positividade tóxica?

Postagens Relacionadas