14 Curiosidades incríveis sobre bebês

A menos que você seja um robô ou um alienígena que adora fatos curiosos, muito provavelmente você veio a este mundo como um bebê. Mas será que você conhece em detalhes o mundo dos recém-nascidos?

Seja pela maneira como eles reconhecem suas mamães pelo olfato ou pela quantidade de ossos que possuem, os bebês trazem consigo muitas surpresas que são geralmente desconhecidas pelo grande público. Pensando nisso, resolvemos listar alguns fatos incríveis sobre os bebês. Confira:

1. A primeira matéria fecal que um bebê humano defeca não é cocô. Na verdade, essa excreção é uma substância esverdeada chamada “mecônio”. O mecônio também é pegajoso e serve ao propósito de preparar o intestino do bebê para a sua primeira digestão. Depois de alguns dias, o corpo dos bebês tende a evacuar com mais regularidade.

2. Os bebês e suas mães têm um olfato muito bom um para o outro. Além disso, ao cheirar seu bebê, a mamãe também pode sentir um prazer semelhante ao de sentir um aroma de comida quando está com fome.

3. Depois que o bebê nasce, o primeiro leite a ser expelido do seio da mãe é chamado de colostro. A medicina moderna reconhece o valor nutricional e o poder de reforço imunológico do colostro e incentiva as mães a dar início à amamentação ainda neste período. Na idade média, porém, o colostro era considerado arriscado para um recém-nascido e, portanto, era bastante malvisto.

4. Antes do leite de vaca e de ovelha começar a ser pasteurizado na Europa, era bastante incomum usá-los na alimentação de crianças. A crença popular da época dizia que beber leite de outra espécie faria com que o bebê assumisse as características do animal em questão. Hoje, o leite de vaca é geralmente apresentado às crianças por volta dos 12 meses de idade, embora o aleitamento materno seja recomendado até os 2 primeiros anos ou mais.

5. As mamães costumam ficar cansadas ​​porque os bebês precisa mamar com frequência; o que muitas delas não sabem é que isso acontece porque os recém-nascidos precisam de muitos nutrientes para continuar crescendo de forma saudável. O que é mais curioso nisso tudo é que o estômago de um recém-nascido é do tamanho de uma avelã. Daí o estômago cheio naturalmente não dura muito!

6. Apesar dos esforços de pais e babás, os bebês estão sempre colocando coisas na boca. Acredita-se que esse tipo de impulso seja evolutivo, como uma forma de captar o máximo de informações através do paladar.

7. Os bebês têm mostrado uma resposta evolutiva a situações potencialmente perigosas que eles testemunham principalmente por meio do som. Os bebês que ouvem trovões os sons de algum animal ameaçador tendem a responder com uma diminuição da frequência cardíaca.

8. Um bebê recém-nascido precisa dormir muito. Nos seus primeiros dias de vida, ele só consegue ficar acordado e alerta por apenas 3 minutos por hora, sendo que esse número pode ser ainda menor à noite. É uma pena que os pais não consigam dormir tanto!

9. Muitos bebês nascem com uma camada de uma substância cremosa branca chamada vérnix caseoso. Esta cobertura pegajosa pode ser benéfica para o bebê de várias maneiras, seja mantendo o calor, facilitando a passagem da criança através do canal do parto ou até mesmo servindo como um hidratante natural.

10. Você já se perguntou por que os bebês são tão flexíveis? Bem, isso ocorre porque eles têm mais ossos no nascimento do que na idade adulta. Conforme os bebês crescem, alguns de seus ossos se fundem em um pedaço maior, reduzindo assim o número total de ossos.

11. Os bebês nascem com um sentido inato para a natação. Muitos deles prendem a respiração quando estão debaixo d’água, por exemplo. Por conta disso, um bebê pode ser levado para nadar desde cedo.

12. Embora você possa pensar que seu recém-nascido sorri constantemente para você, o primeiro sorriso de um bebê como uma expressão de felicidade só ocorre por volta das cinco semanas de idade.

13. Às vezes, os bebês nascem com pelos corporais macios chamados de lanugo. Em suma, o lanugo costuma ser eliminado e consumido pelo próprio feto no útero, mas, em alguns casos, permanece no bebê ao nascer. Ele desaparece algumas semanas após o nascimento, mas pode reaparecer mais tarde, caso a criança sofra de distúrbios alimentares.

14. Os bebês têm até três vezes a quantidade de papilas gustativas de um adulto; no entanto, eles não sentem o gosto do sal até os quatro meses de idade.

E então, sabia todas estas coisas?

Vamos aprender, sempre! Conhecimento é sempre bem vindo. Lembre-se de deixar a sua opinião nos comentários e se tiver mais alguma curiosidade para compartilhar, estamos ansiosos para saber.

Total
0
Shares
Artigo Anterior

É realmente necessário extrair os dentes do siso?

Próximo Artigo

O que foi a Guerra da Chaleira?

Postagens Relacionadas